Friday, February 04, 2005

Jazz.zip #1

ESTE É UM APANHADO DE ALGUMAS CONVERSAS JAZZISTAS QUE PASSARAM PELO
MPC4000, peace !





Este ano começou por trazer novas sonoridades a minha colecão, especialmente do planeta Jazz, entre Miles Davis e El-P, passando por Guru ou por Donald Byrd..





El-P – High Water featuring The Blue Series Continuum:

A atmosfera que rodeia esta rodela preta é simplesmente genial, os blues e as tarolas aguçadas perdem-se pelo stereo ofuscando os sentidos do ouvinte (neste caso eu!).
The Blue Series Continuum é um conjunto de seis músicos que embarcaram nesrta avenetura liderada por El-P, as sonoridades rondam o jazz, denotam-se as influências da electrónica que aqui convive perfeitamente com o Baixo de William Parker, o Trombone de Steve Swell, A Flauta de Daniel Carter, Trompeta de Roy Campbell, os aguçados Drums de Guillermo E. Brown e o melodioso toque pianistico de Matthew Shipp. Tudo isto sob os arranjos magnificos de El-P.
Mas chega de conversa, pois este é um disco para se ouvir no mais profundo dos silêncios (pelo que a minha cave está mesmo bem localizada..), salientam-se vários temas de ambos os lados, mas sem dúvida que Intrigue in The House of India, Get Your Hand Off Mu Shoulder, Pig, entre os restantes são instrumentalizações lindas, mas o auge do disco está em: When The Moon Was Blue, com a voz frágil de Harry Keys o pai de El-P (nome verdadeiro: Harry Meline, a quem o album está dedicado).
Editado pela ThirstyEar, em 2004, fica aqui uma solução para as noites de chuva!

P.s.- Quando o sentimento, a técnica, o jazz se aliam... dá nisto!






Steamin’ with The Miles Davis Quintet:

O incontornável Miles, mestre o trumpet, como se de uma milicia organizada se tratassem: Coltrane, Red Garland, Philly Joe Jones e Paul Chambers juntamente com Miles formam o maior exército jazzista que os meus ouvidos já presenciaram.
Steamin’ with The Miles Davis Quintet, remonta a gravações originais de 11 de Maio de 1956, alinham-se temas, improvisos, enfim...
Salt Peanuts é um dos temas deste belo disco, uma destruiçãp para os ouvidos de qualquer produtor de hip hop, pois tem um belo solo de P.J.Jones quase interminável, não suscetptivel a produtores que sofram do coração... Surrey with Fringe on Top, Salt Peanuts, Something i dreamed last night, Diana, Well You Needn’t e When I fall in love, são os temas incluidos nas doze polegadas de Jazz.





A Love Supreme- John Coltrane:

Sem medos, a edição de A Love Supreme, o classical de J.C., tras-nos um vinil pesado, com toques de metria por tudo quanto é corte, em cada elevação da agulha soa o saxofone de Coltrane, sem medos, frágil mas coragoso no meio da bateria de Elvin Jones, das teclas de McCoy Tyner e envolvido no calor das baixas freqências de Jimmy Harison.
Para além de ser um grande disco! A edição é de facto muito bela, por isso para quem não possui uma edição empoeirada de A Love Supreme, esta é uma grande compra.





BlackByrd – Donald Byrd

A primeira vez que me passou alg de Donal Byrd pelos ouvidos foi quando ouvi Loungin’, de Guru e Byrd no Jazzmatazz vol.1, desde logo fiquei com o nome de Byrd na cabeça: “i’m loungin, and i got my man Donald Byrd, and I’m Loungin...”.
Donald Byrd é um dos mais conceituados trompetistas de jazz da história, capaz de acompanhar os beats mais groovy (como o primeiro deste LP) ou os temas mais blue, sempre sem perder um toque muito jazzy.
A grande obra prima de Donald foi a versão Lp “Ethiopian Nigths”, que ainda não puz as mãos em cima, por aqui fica esta versão de Black Byrd original Blue Note (the finest jazz since 1939 ensinou-me um certo senhor há uns tempos...paz para ele.).
Deixo aqui a pequena playlist de Black Bird versão doze polegadas...alinham: Flight Time, Black Bird, Love’s So Far Away, Mr. Thomas (checkem lá this groove please) , Sky High, Shop Jar blues e Where Are We Going?
Tudo pelas mãos de Donald Byrd que entra já no filme que vem de seguida pelas mãos de Mr. Guru.






Jazzmatazz Vol.2

Se o primeiro volume de Jazzmatazz supreendeu por : “ser o primeiro a fazer”, este volume vem demonstrar : “como fazê-lo jazzy style”, este volume é sem dúvida a confirmação da genialidade deste projecto.
Muitíssimo mais forte, muitissimo mais jazzy, novos convidados, grandes temas.
Guru cada vez me surpreende mais, sabendo que em 1995 ainda estava o hip hop português a dar os primeiros passos, e Guru estava já a fundir o seu estilo com grandes mestres do Jazz pela segunda vez, e com ainda maior sucesso!
Desta vez abre-se mais o leque sonoro, deixando absorver sonoridades como a voz de Chaka, que vem trazer uma nova faceta ao disco.
O projecto conta com Donald Byrd de novo o que para mim foi muito agradavel... A participação dos Jamiroquai está estrondosa, criando com Guru um tema (the Lost Souls) que é perfect blues meets Guru and Jay Kay. Enfim, é um dos grandes temas apenas: Respect the Architect é provavelmente um dos melhores temas, bem como o melódico: Nobody Knows, ou The Traveller.
Há reggae, hip hop beats, soul, turntablism, tudo embutido em camadas de jazz e muitos rhodes mkII á mistura, muitos saxs, e tudo o que se podia esperar do mestre Guru, que desta vez trouxe também Premier para o projecto.
É caso para dizer Damm! E para questionar como é que eu só descobri isto agora tantos anos depois, mas isso é outra história!






JAZZMATAZZ



Quando um membro activo dos Gangstarr, Guru, se propõe a trabalhar com grandes nomes do jazz, surge algo diferente, o estilo é uma fusão entre a mente de Guru e o seu Hip Hop e toda a envolvência jazz que o rodeia...
São exemplos disto quase todas as faixas do álbum, que se auto-intitula como uma fusão experimental entre dois estilos que embora a um olhar fugaz possam parecer distintos estão muito interligados pela musicalidade.
Guru apresenta o primeiro volume de várias histórias corriqueiras ou intensas de jazz, sob um liricismo que se desliga do seu flow hip hop e bebe cada palavra ao som dos compassos dos jazz drummers..músicos como Coutrney Pine, Ronny Jordan, Carleen Andersom, Roy Ayers, Donald Byrd, Lonnie Smith e Mc Solar...
Claro que se por um lado se sente a presença lirica do hip hop, um fã de jazz entretem-se com as composições originais de Guru himself... sentado na cadeira de produção, sentado na instrumentalização, e de caneta na mão, Guru assume a sua forma jazzista...

Temas como Lougin', slicker than most, le bien le mal (com o flow arrebatador de MC Solar..), são algumas das pérolas a meu ver (ouvir..) neste disco!

Fico a espera que algum pai natal atrasado me presentei com os seguintes volumes de Jazzmatazz...
Contudo a nota mais importante foi lançada, Guru é mais que uma das pessoas relevantes do Hip Hop, é uma das pessoas mais relevantes da música em geral(enfim.. hip hop também é musica...)

The Engine Room

A história dos bateristas de jazz, pode ser contada, não brevemente mas em cerca de quatro cds, do two-step e do chicago style, passando pelo swing, e terminando no jazz contemporâneo...

Nomes de jazz drummers podem parecer algo desconhecidos a alguns, mas mesmo assim consegui reconhecer alguns dos mais relevantes, o que fazem desta box set uma enciclopédia de aprendizagem do jazz...nomes como: Gene Kupa, Sid Cattlet e Art Blakey...

Ficam aqui estas prospostas jazzy em época pós-natalicia! Divirtam-se!




Peace y'all
Mais jazz já em seguida!
E mais El-P também!

Friday, January 28, 2005

Funk Connection'

"Just funk for ya mind here today mates!"

Funk, um dos estilos enraizados em todo o hip hop, é o alvo escolhido para começar aqui esta nossa secção diggin'.
Ficam aqui algumas cacthes e uns breves comentários sobre cada um dos discos, já há algum tempo que tinha estes discos aqui a espera de um lugar no MPC mas ainda não tenho tido tempo para organizar o blog como queria...

Assim começamos a secção diggin' em grande, "with tha funk!"






James Brown: Soul On Top (James Brown with The Louie Bellson Orchestra



Isaac Hayes: Shaft, The Original Sound Track, aquele disco mítico com aquela voz inacreditável...



The Brooklyn, Bronx and Queens Band: um disco cheio de energia funk! Directamente de três districts funky!



The Crusaders: Guetto Blaster, um disco Funk, com uma grande capa vindo de uma grande era! Sample me please!




O grande clássico dos Sly and The Family Stone: There´s a Riot Goin' On









Kool and The Gang: Something Special, uma banda maisi mportante para o Hip Hop do que as Mpcs! É só ligar a turn e sentir o unique groove!




Um disco produzido por George Clinton, um excelente arranjo de Bootsy Collins, em Strechin' Out in Bootsy's Rubber Band







Fela Kuti: Everything Scatter, um disco imperdível!!!!!




Raj Kapoor's: Bobby, o soundtrack de um filme de Bollywood, para além de ser um grande fonte de samplagem, foi a fonta usada para alguns dos toques the Bullet em The Lost Tapes, para ver o artigo completo que esrevi sobre isto usem este link.



Finalizamos com um grande 45 de funk! Street Music, The Bang Gang em rotação total!


Paz para todos os diggers e funk lovers!
Visitem The Funk Connetion' on RIIST



Peace
The_Producer @ MPC4000



Saturday, January 22, 2005

Poeira é bemvinda!

Este é a secção da poeira no MPC!

Esperem pelas diggin charts, pelos apanhados regulares, pelo funk, jazz, etc...!

Só diggin'!!!!

Peace!